Mata Santa Genebra implanta meliponários de abelhas sem ferrão

A FJPO (Fundação José Pedro de Oliveira, que administra a Mata de S. Genebra) iniciou a estruturação de criadouros de abelhas nativas sem ferrão, chamados de “meliponários”.

Os objetivos principais do projeto são relativos à conservação das espécies de abelhas e de polinizadores de maneira geral, assim como de realizar o levantamento e conhecimento das espécies de abelhas nativas da ARIE Mata de Santa Genebra.

Segundo o biólogo Algusto Ventura a Mata está iniciando com quatro abrigos que comportarão duas caixas-colônia cada, ou seja, iniciaremos com oito colônias de abelhas nativas sem ferrão. As primeiras colônias são das espécies jatai, tubuna e mirim droryana

Por enquanto vamos manejar apenas estas três espécies…Até aprendermos a cuidar. Depois a idéia é também reproduzirmos outras espécies que ocorrem na Mata” Segundo Ventura existem 1600 espécies diferentes de abelhas só no Brasil

Mas a ideia é de irem aumentando o número de abrigos conforme vão conseguido fazer a manutenção destas primeiras.

Outro objetivo é a construção de uma “casa-meliponário”, que como disse Ventura é uma estrutura maior que comportaria várias prateleiras e várias caixa-colônias.

Diferenças com os Apiários

Muita gente acredita que uma colonia de abelha chama-se “apiário” Mas Augusto Ventura explica a diferença:

Apiários são os criadouros que possuem exclusivamente a espécie de abelha exótica Apis mellifera. Esta é a espécie que foi trazida da Europa para as Américas durante o período colonial, e estamos mais acostumados a ver na televisão e consumir o mel. A Apis SP é da mesma família de várias espécies nativas sem ferrão, a Família Apidae, e também da tribo Meliponini. A diferença entre um apiário e um meliponário é, basicamente, que apiários criam exclusivamente a Apis sp e os meliponários criam as outras espécies sociais e melíferas da tribo Meliponini, notadamente, no Brasil, as espécies nativas sem ferrão“.

Replicar para conhecer as outras espécies

A Fundação vai também replicar as colônias da abelhas nativas sem ferrão existentes na Mata de Santa Genebra através da instalação de ninhos-isca, que é uma uma estrutura provisória que simula uma matéria oca e que, devido à uma mistura atrativa para as abelhas, estimula a entrada de enxames com novas abelhas-rainha. Este enxames novos são posteriormente retirados do ninho-isca e realocados em uma caixa chamada de “racional” e levados para as áreas de meliponário.

Outro objetivo é conhecer e identificar outras espécies melíferas sociais ja existentes na Mata e segundo Ventura esse processo de replicação vai ajudar bastante nesse sentido. Para esse serviço Augusto disse que terá a ajuda de um voluntário que também fará pesquisa de levantamentos de outras grupos de abelhas. por exemplo das espécies solitárias e espécies gregárias, como as “mamangavas“. “Estes grupos de abelhas não entram em ninho-isca, portanto as técnicas para identificar estas espécies são a busca ativa de ninhos e a observação de campo.” – declarou o biólogo.

COLÔNIA NA PREFEITURA É A PRIMEIRA DE MUITAS

Nesta quinta, 11/11/ a FJPO instala uma colmeia racional, (isto é, feita pelo homem), contendo uma colônia de abelhas nativas sem ferrão, em frente ao Paço Municipal mas o objetivo é levar para vários outros lugares dando início ao projeto “Campinas, cidade amiga das abelhas nativas” segundo o presidente Cidão Santos. O projeto foi idealizado para despertar a conscientização ecossistêmica e destacar a importância da conservação dos polinizadores de maneira geral, começando com as abelhas nativas sem ferrão.

A colmeia racional instalada na frente da Prefeitura é parte do projeto que inclui também o Meliponário (local de criação de abelhas onde são instaladas diversas colônias), inaugurado na Mata de Santa Genebra, em Barão Geraldo. O Meliponário poderá ser apreciado pela população e por estudantes de Campinas e região nas visitas guiadas que ocorrem semanalmente na Mata de Santa Genebra. A inscrição é recebida no endereço  https://www.fjposantagenebra.sp.gov.br/.

O projeto “Campinas, cidade amiga das abelhas nativas” é uma realização da Prefeitura Municipal de Campinas por meio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Fundação José Pedro de Oliveira – Mata de Santa Genebra, com apoio da Associação de Meliponicultores do Estado de São Paulo (AmeSampa).

AB

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s